All the single ladies!!!!




Claro que eu fui ao show da Beyoncé e nem me arrependi:
1) de tomar chuva e escorregar no Morumbi
2) de pagar R$ 160 pra ver de longe.
Adoro dançar, adoro black music e rythm'blues, portanto nâo tinha como não gostar. E ela é um diva, canta e dança muitíssimo bem, enche o palco com sua presença, corpão e figurinos.
Obviamente, o palco não era o dela, e os contratantes locais lhe deram menos do que merecia. Ela nem pôde voar sobre a platéia para ir até o palco menor estrategicamente colocado no meio da pista. Os telões não eram HD e por pouco não foi tudo abaixo por conta da chuva que assolou o Morumbi no final do dia. A pobre da Ivete Sangalo, uma rainha no Brasil, entrou antes para o show de abertura num palco molhado - que lhe rendeu um tombaço -, com som baixo e de má qualidade e ainda com as luzes apagadas! A baiana que agitou a galera não merecia isso, não...
Para Beyoncé, o Morumbi estava lotado, muito lotado. Falaram em 60 mil ingressos porque este deve ter sido o número oficial, com os devidos impostos pagos à Perefeitura. Só de olho dava para ter pelo menos 25% a mais que isso - vou a shows no Morumbi há pelo menos 25 anos, 20 deles como jornalista. Entâo, já tenho uma breve noção sobre números oficiais de público...
Além do mais, a pista (gramado) ficou totalmente tomada. A própria cantora soltou que era a maior platéia para a qual já havia se apresentado. Da arquibancada especial, onde eu estava, pude comprovar: a platéia ia de A a D. Isto é que é inclusão social: as pessoas poderem pagar por um show internacional desse nível, uma garotada que sabia de cor as letras em inglês e conhecia as coreografias pelos vídeos do You Tube. E olha que foi caro.
Com certeza, soubesse ela e seu empresário - e o maridão e produtor JayZ - teria cobrado um cachê maior!!!
Prometeu que vai voltar. Que seja logo!

Postar um comentário

0 Comentários