Por que a Fazenda agrada




Esta segunda edição de A Fazenda se não tem o ar de novidade da primeira, tem por mérito melhorar o que não era lá muito bacana na versão de estréia. O cenário logo de cara já está mais caprichado, menos pobre e com ambientes melhor cenografados para um show que se pretende durar três meses. As festas estão bem produzidas pra dar inveja ao último BBB. E o elenco... bem, o elenco, de tão trash, é o que de mais atraente há no reality da Record! Claro, juntar celebridades do lado B, conhecidas do grande público mas pouco reconhecidas no meio artístico é uma sacada genial neste tipo de espetáculo. Um cult!
Justiça seja feita: a Record deve esta descoberta ao mestre Silvio Santos. A sua primeira Casa dos Artistas foi das coisas mais comentadas e assistidas na TV aberta dos anos 2000.
É sensacional ver os não-artistas deslocados no meio da celebrities da Fazenda. O nadador Fernando Scherer, o Xuxa, é o maior - ou pior - exemplo. Ele está tão deslocado no seu gigantismo e forma atlética que ficou meio patético sua paixonite pela dançarina Sheila Mello - ex-É o Tchan. Outra que estava na mesma situação, a Bandeirinha Ana Paula Oliveira, nem teve muito tempo pra se adaptar: foi a primeira eliminada. Também, pudera, com aquele carisma de juiz de futebol e nada simpática, a beleza não foi mesmo suficiente para aguentá-la num quadro por muito tempo.
Sobram bonitões e bonitonas nesta lavoura. Adriana Bombom, supreendentemente bombada e musculosa, encontrou na dançarina Sheila sua parceira ideal para as melhores reboladas no ar. O funkeiro MC Leozinho embala as danças e ele mesmo aparece como um outsider no meio dos musculosos e barrigas tanquinho do elenco - destaque para Caco Ricci e André Segatti.
O cantor Maurício Manieri, que já esteve no topo das paradas de rádios nem tão populares assim, é outro que destoa do ambiente.
Ainda assim, o programa funciona. Distrai e diverte na medida para o fim da noite de quem só quer assitir bobagens e se divertir com tolices muitíssimo bem editadas. Puro relax.
Agora, se tem algo que é 100% neste programa, merece ser destacado: o diretor Rodrigo Carelli (o Boninho da Fazenda) acertou em cheio ao novamente destacar Laura Finocchiaro no comando da trilha sonora. Que é perfeita, cheia de Bee Gees e Pink Floyd. Na roça, embalando os avestruzes. Show!!!!!

Postar um comentário

0 Comentários