Que o Beirut volte ao Brasil!


E eu não imaginava que o grupo indie Beirut fosse esse arraso. Veio um sexteto de várias partes do interior dos EUA, com seis instrumentistas de fato (a formação do grupo é variável), trazendo seu som inspirado num som meio amish, ou meio cigano da Europa balcã... meio romenos, com pose de modernos antigos, o que eles mostraram num show um tanto improvisado no Via Funchal foi um total encantamento pelo Brasil.
Não tinha como ser diferente. Se nem eu sabia que a platéia lhes seria tão ferverosa, quem dirá eles?!!!! Confira uma palhinha do bom som dos cara em:http://www.beirutband.com/
Puseram mesas desnecessárias na casa de espetáculos para segurar todo mundo sentado, mas foi difícil ficar na cadeira. Acordeão, sopros, contrabaixo e até cavaquinho produziram um som vibrante, potente. Um misto de som barroco e música flamenca, um meio do caminho entre os Gipsy Kings e outra coisa que não é possível rotular num grupo onde o mais velho tem 23 anos! Seu hit Elephant Gun (ouça no http://www.myspace.com/beruit)integrou a trilha da fabulosa série Capitu, no final do ano passado na Globo. Parênteses para o vocalista adepto da manguaça no palco, e suas divertidíssimas tentativas de arranhar o português.
Talvez a série de TV pode em parte explicar a platéia jovem e incrivelmente bonita que foi à Vila Olympia na última sexta-feira, dia 11, pagar R$ 200 por escassos ingressos para ver a banda. E que execução mais bacana de Aquarela do Brasil eles fizeram!!!! As bandas nacionais com tamanha escassez de criatividade tinham de ver isto. Que o Beirut volte!

Postar um comentário

0 Comentários