cinema nacional manda bem


Se ainda não viu, vá assistir A Mulher Invisível. Porque o filme é divertido, tem ritmo, é bem feito, ágil, tem ótimas tiradas e sim, um bom roteiro. Além do sempre mais que ótimo Selton Mello, aqui impagável, do bastante ótimo Vladimir Brichta - que além de tudo é bonitão - e a Luana Piovani está de mulherão. Mas a atriz da vez é Maria Manoela.
By the way: que bom um filme carioca sem cenas de praia, sem clichês de Copacabana, Carnaval e Leblon. A turma da Conspiraçao como sempre chamou os amigos - como a onipresente Maria Luiza Mendonça, e a irmã do diretor (Claudio Torres), Fernanda Torres. Mas tudo bem, eles combinam com o enredo, apesar de Fernanda Torres ter pecado no visual, tendo exposto em excesso sua prematura grisalhice - ela estava grávida nas filmagens, daí uma possível explicaçao para não usar tintura!
Mas há pontas que são um luxo: Marcelo Adnet de bilheterio de cinema; Karina Bacchi de perigueti, e também de perigueti a talentosa Danni Carlos - o que ela teria ido fazer em A Fazenda, meu Deus ???!!!! Só acho que não tem nada a ver incluir Janis Joplin na trilha sonora...
É bom que haja comédias assim no cinema nacional. E é bom que tantos patrocinadores ajudem que continuemos a ter estas produções. Afinal, para enfrentar os Harry Potter da vida - aliás, este ultimo, o Príncipe Mestiço, é bom demais pra quem acompanha a saga do bruxinho ! - o cinema nacional necessita, sim, de incentivos, ou não sobreviveria jamais ao rolo compressor da indústria hollywoodiana!
Precisamos ter mais Seltons e Luanas na tela grande!

Postar um comentário

1 Comentários

claudia disse…
puxa, ´tou exibindo minha prematura grisalhice, mas não to grávida. Isso é ruim?