Imersão no Roxo Profundo


Deve ser a trigésima (!)vinda do Deep Purple ao Brasil. E como toda vez lota, eles devem voltar até que Ian Gillan esteja impossibilitado pelo Alzeihmer - tudo bem, desde que ele continue cantando bem, nós continuaremos indo!O nome desta turnê é Around The World Live - se bem que por "world", entenda-se além de Brasil, também Argentina e Chile, e só - para celebrar 40 anos de surgimento da banda do roxo forte, do roxo profundo, daquilo roxo...
É show pra fã. O grupo nesta formação toca junto desde 2001, com Ian Gillan (vocal), Roger Glover (baixo), Steve Morse (guitarra), Don Airey (teclados) e Ian Paice (bateria).
Os originais estão na estrada desde que eu nasci - obviamente, sem a lenda Ritchie Blackmore, guitarrista da formação inicial, que fundou o Rainbow e não quis mais saber de voltar. David Coverdale (depois WhiteSnake) já foi vocalista.
Esta formação atual inclui o guitarrista Morse, cabeludão e meio poser, que toca com os longos e lindos cabelos louros ao vento. Tem belos braços...
O show começou pontualmente demais para uma sexta-feira com recorde de engarrafamento em Sampa (190 km às 19h30, registrou a CET). Resultado: a banda começou se apresentando para uma casa meio vazia, que foi enchendo até lotar.
Executaram com vigor as minhas preferidas Perfect Strangers (veja vídeo com pequeno trecho a seguir), Highway Star, e claro, Smoke on the Water. E todas as outras que todos queriam.
Detalhe: levei meu filho, de 12 anos, e tinha tantos outros quarentões e cinquentões com sua molecada. É a geração Guitar Hero: esse jogo faz essa garotada conhecer os clásicos do rock com uma rapidez incrível para quem levou 30 anos colecionando vinil...

Postar um comentário

0 Comentários